Logomarca Difusora
Histórico Fotos Equipe Programação Novelas Departamento Comercial Promoção Contato
  Histórico
 
A RÁDIO DIFUSORA SANTA CRUZ

Três ilustres santa-cruzenses alimentaram um sonho: fundar uma emissora de rádio em nossa cidade. Foram eles: Leônidas Camarinha (líder político), João Queiroz Júnior (conceituado comerciante) e José Antonio Ramos (operoso gerente de uma agência bancária). Os três se uniram e o sonho foi realizado. Nasceu a ZYQ-8 Sociedade Rádio Difusora Santa Cruz, nos finais dos anos 40.

Entrou no ar em caráter experimental e mais tarde foi autorizada a funcionar regularmente pelo governo federal. Benedito Camarinha Machado e José Eduardo Piedade Catalano comandaram as primeiras transmissões. Aliás, Catalano que foi registrado na emissora em 1948 continua até hoje apresentando seu programa diário na Difusora AM.

A inauguração da rádio foi um acontecimento. Era a primeira emissora de radiodifusão em toda a região. Todos queriam conhecer o que era uma estação de rádio. Instalou-se no prédio onde havia funcionado o Clube dos Vinte desde 1929. Para visitar as dependências da rádio local a população fazia fila e marcava hora. Ao realizar a visita, cada pessoa doava um disco 78 rpm para ajudar a formar a discoteca da emissora. Assim foi formada sua discoteca, através de doações da comunidade. O tempo passou. A emissora chegou até a utilizar equipamento para transmissões externas em FM.

Severiano Rodrigues Filho, um dos primeiros responsáveis pela parte técnica, ao lado de José Sebrian, Antonio Batista Rollo e outros nomes de valor histórico, ainda continua prestando serviços na sua área especializada. Com os anos, a empresa chegou a obter autorização provisória para o funcionamento de uma rádio em freqüência modulada, batizada como Alvorada FM. Mas, o destino desfez a sociedade," quando seus integrantes deixaram este mundo e a emissora não chegou a ser instalada. Assumiu, então, a liderança do setor radiofônico na cidade o saudoso ex-Prefeito Carlos Queiroz, que imprimiu dinamismo e criatividade ao rádio em Santa Cruz que revelou, entre outros nomes de vulto, radialistas como Teófilo de Queiroz Júnior, João Baptista Borges Pereira, João Hebal Gonçalves Lino, Olímpio Carvalho dos Santos, José Camiloti, Carmen Queiroz, Maria Zied, Buza Queiroz, João Molitor, Delza Figueira, Lila, Luzia Gozzo Maria Rita Rodrigues, Olímpia Penha da Silveira Figliolia, Umberto Magnani Netto, Oto Pitol, Marli Montanholi, Dionísio José, Miguel Ramos, Márcio Catalano, Moisés Nelli, Irmão Lamoso, Miguel Saliba, Edson José, Luiz Alberto, Mário Nélli, Heloisa Machado Camarinha, Eny Ribeiro, Terezinha Nélli, Maestro Alfredo Giordano e os 4 Cancioneiros Q-8 (Antonio Mariano, José Messias de Brito, Olímpio e Nelson Torres). Passaram por ela destacados comunicadores como Amamy Cezar, Cláudio Catalano, Ávila Machado, Éder Luiz, Douglas Porto, Jair Pimentel, Odelair Ferdin, Nhô Pinga, Zé do Cravo, Renato Marques, Celso Pinheiro, e dona Filhinha Camarinha em meio a outros desbravadores do rádio santa-cruzense nos anos dourados.

Com a morte de Carlos Queiroz, assumiram a empresa seus filhos Carlos Antonio Camarinha Queiroz e João Queiroz Neto, que mantiveram aceso o ideal de seu pai e a tradição do rádio na região, dando continuidade a seus planos e à programação da emissora, da qual se sobressaíram o Programa Rádio Clube Mirim, o Programa dos Estudantes, o Programa De Coração a Coração, Repórter Q-8, O Telefone é Quem Manda (hoje Loteria Musical), Ponto de Encontro (a primeira novela do rádio em Santa Cruz), A Hora do Circo (com Nhô Pai e Fiico (programa do qual participou Caçulinha, hoje no Programa do Faustão, na Rede Globo) e uma interminável seqüência de sucessos ao longo dos tempos. Sucessivamente, a emissora passou a ser dirigida por José Cesário Pimentel e seus filhos, depois por uma sociedade integrada por Amerquiz Júlio Ferreira, Joaquim Severino Martins e Clóvis Guerra, e mais recentemente por seus atuais proprietários Odelair Ferdin ( verdadeira "Prata da Casa", que depois de se mudar de Santa Cruz e continuar no ramo fora da cidade, retornou de Bandeirantes, no Paraná, com o amigo e sócio Pedro Donizeti Dias com quem hoje tão bem divide a responsabilidade na direção da Super Nova Difusora) incrementando a atividade radiofônica em nossa terra, com inestimável contribuição para sua melhoria, nova tecnologia, equipamentos de última geração e descoberta de novos valores que passaram a constituir a nova constelação de astros e estrelas do rádio em Santa Cruz e região. Esta, em rápidas pinceladas, movidas pela saudade, pela emoção, pelo orgulho e pela sensibilidade de tantas lembranças, a síntese apertada e interminável da nossa primeira emissora de radiodifusão, com pedidos de escusas a todos os demais pioneiros cujos nomes deixaram de ser citados pela absoluta e compreensível limitação do espaço disponível.

O proprietário Odelair Ferdin esteve em Brasilia nos dias 26, 27 e 28 de Junho de 2007, em companhia do deputado Vicentinho.
O principal motivo da sua ida à Brasilia foi agilizar o processo que visa dobrar a potência da emissora de 1000 para 2000wats.
O Odelair Ferdin aproveitou também para fazer visitas com a equipe do deputado.
 
 
 
Copyright © Rádio Difusora. Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento de sites: GV8 Sites & Sistemas